destaque parnaserradosorgaos2

O Que Fazer

A Travessia é uma atração a parte: considerada por muitos como a caminhada mais bonita do Brasil, tem cerca de 30 km e liga as Sedes Petrópolis e Teresópolis. Percorrida normalmente em três dias, com pernoites nos dois Abrigos de Montanha do PARNASO ou nas áreas de camping adjacentes, ela passa por paisagens belíssimas. - Mais informações veja a seguir:

Sobre a Travessia

A travessia Petrópolis-Teresópolis é um clássico nacional de caminhada e montanhismo, sendo por muitos considerada a travessia mais bonita do Brasil.

Com cerca de 30 km de extensão, a travessia da Serra dos Órgãos exige preparo físico e equipamento adequado. É necessária a presença de guia experiente, principalmente no trecho entre os Castelos do Açú e a Pedra do Sino.

Antes do início da caminhada é necessário pagar os ingressos e taxas na portaria e assinar o Termo de Conhecimento de Riscos e Normas. O termo deve ser preenchido ou entregue nas portarias do Parque. O preenchimento do Termo é importante para o registro da entrada e saída dos visitantes e para que o visitante tenha conhecimento sobre normas e procedimentos de conduta. Por isso, é importante que o visitante informe sua saída nas portarias aos vigilantes de plantão.

ATENÇÃO: O envio de Termo por fax não configura reserva.

Antes de iniciar atividades de montanhismo, leia as Regras de Uso Público do PARNASO e a Cartilha do Caminhante Consciente da Serra dos Órgãos.

ROTEIRO DA TRAVESSIA


O roteiro recomendado tem início na Portaria do parque em Petrópolis, localizada no bairro do Bonfim, e duração de 3 dias. O sentido Petrópolis-Teresópolis se justifica tanto pela menor dificuldade na passagem de determinados trechos críticos, quanto pela beleza da paisagem, podendo-se admirar de frente a majestosa cadeia de montanhas da Serra dos Órgãos.


 

 

  • Primeiro dia: Bonfim-Castelos do Açú
  • Duração estimada: 6 horas

 

Subida AçuA caminhada até o Açú é considerada pesada devido à grande variação altitudinal. Parte-se da portaria do parque (cerca de 1.100m de altitude), chegando-se a 2.245m na Pedra do Açú. A caminhada é relativamente curta (pouco mais de 7 Km de extensão) mas demora cerca de 6 horas para o montanhista médio.

A travessia começa na Sede Petrópolis do PARNASO, no bairro do Bonfim. Após cerca de 40 minutos na trilha chega-se à entrada para a Gruta do Presidente e a Cachoeira Véu da Noiva. Mais 50 minutos de caminhada e chega-se à Pedra do Queijo, um bom local para descanso com vista panorâmica para o Vale do Bonfim e os picos da Alcobaça, do Alicate e outras montanhas de Petrópolis. Após mais 40 minutos de subida chega-se ao Ajax, local com fonte de água. O acampamento é proibido no local.

Após a passagem pelo Ajax inicia-se o trecho de subida mais íngreme de Petrópolis. Conhecido como Isabeloca, em homenagem a uma suposta passagem pelo local da princesa Isabel em lombo de mulas, este trecho encontra-se bastante erodido. A situação é agravada pelos diversos atalhos que a equipe do parque e voluntários vêm tentando fechar para evitar o agravamento da situação.

Ao fim da Isabeloca chega-se ao Chapadão, trecho mais plano de onde já se avista a Pedra do Açu, também conhecida como pico do Cruzeiro, ponto mais alto de Petrópolis, e os Castelos do Açu, interessante formação rochosa cheia de reentrâncias onde é possível se abrigar da chuva e do vento.

Próximo aos Castelos do Açuexiste um dos dois Abrigos de Montanha ao longo da Travessia (o outro sendo na Pedra do Sino) e a área de camping adjacente. Este é o local do primeiro pernoite.

Em noites abertas é possível observar as luzes da cidade do Rio de Janeiro e a Baixada Fluminense.


 

 

  • Segundo dia: Castelos do Acú-Pedra do Sino
  • Duração aproximada: 7 horas

 

AbrigoApós o espetáculo do nascer do sol atrás da Serra dos Órgãos, inicia-se o segundo dia de caminhada. Neste trecho é indispensável a presença de guia experiente. É frequente a ocorrência de montanhistas perdidos, principalmente em dias com muita neblina. A caminhada é quase toda nos campos de altitude, formação vegetal de pequeno porte que, no Estado do Rio de Janeiro, só ocorre na Serra dos Órgãos, em Itatiaia e no Parque Estadual do Desengano.

Seguindo na direção leste chega-se ao Morro do Marco após cerca de 30 minutos. O local é facilmente identificado pela pirâmide de pequenas pedras que dá nome ao morro.

No Morro do marco é possível pegar uma variante da trilha e conhecer os Portais de Hércules, uma espécie de mirante na beira das vertentes mais inclinadas da Serra dos Órgãos, com bela visão do vale da Morte.

Descendo o Morro do Marco, em cerca de 30 minutos chega-se ao Vale da Luva, local coberto pela interessante mata nebular, com grande abundância de plantas epífitas, entre as quais destacam-se orquídeas endêmicas da Serra dos Órgãos. O Vale é cortado por um pequeno riacho onde é possível se refrescar e encher os cantis. 

Em seguida inicia-se a subida do Morro da Luva. O cume é alcançado em cerca de 30 minutos. Após a descida em superfície rochosa, onde a trilha não é bem marcada e o risco de se perder em dias de neblina é alto, chega-se à Cachoeirinha (mais 30 minutos), local com água abundante e ponto recomendado para descanso.

Meio travessiaA subida do Elevador, logo após a Cachoeirinha, é uma escada de ferro que exige equilíbrio para passar com mochilas cargueiras (foto ao lado). Na seqüência chega-se, após cerca de 40 minutos, ao Morro do Dinossauro, um dos pontos mais altos do parque, de onde já é possível avistar a Pedra do Sino, o Vale das Antas e a Pedra do Garrafão. A descida até o Vale das Antas leva cerca de 40 minutos. No vale estão outras nascentes do Rio Soberbo e o local tem água o ano inteiro. O camping é proibido no local em função da fragilidade do ambiente e das nascentes do rio Soberbo.

Após mais uma subida íngreme chega-se ao Dorso da Baleia, em frente à vertente da Pedra do Sino. Do local é possível avistar a maior parede de escalada (bigwall) do Brasil, onde estão as vias Franco-Brasileira e Terra de Gigantes. Após a descida de uma grota, inicia-se a subida do paredão que leva à Pedra do Sino. A subida é íngreme e a passagem conhecida como Cavalinho é o ponto mais perigoso da travessia (foto abaixo), sendo obrigatório o uso de cordas.

Após o Cavalinho, o montanhista segue por uma estreita trilha que contorna a Pedra do Sino até encontrar a trilha de subida para o cume, ponto culminante da Serra dos Órgãos (2.263m). Dependendo da hora de chegada neste ponto, pode-se optar pela subida ao cume ou descida para montar o acampamento ou se instalar no abrigo da Pedra do Sino (Abrigo 4). Éproibido acampar no cume da Pedra do Sino.

A subida até a Pedra do Sino à noite é altamente recomendável, principalmente em noites de tempo bom. A vista da cidade do Rio de Janeiro à noite é impressionante e vale o passeio.


 

 

  • Terceiro dia: Pedra do Sino-Teresópolis
  • Duração estimada: 4 horas

 

Sino

O percurso do terceiro dia inclui apenas a descida da Pedra do Sino até a Sede Teresópolis do PARNASO. São 11 Km de descida relativamente suave com belas vistas do município de Teresópolis e do Parque Estadual dos Três Picos. Recomenda-se uma nova subida ao cume da Pedra do Sino para admirar o nascer do sol.

Abaixo da cota 2000m, a estrutura da vegetação começa a mudar. O campo de altitude é substituído por uma mata nebular, com grande quantidade de bromélias e orquídeas. A trilha sombreada pela mata passa pelas ruínas do antigo Abrigo 3, local de descanso com mirante. Os vestígios do antigo Abrigo 2 são difíceis de reconhecer em meio à vegetação.

Uma alternativa para aqueles que desejam mais aventura é fazer outras trilhas com acesso a partir do Abrigo 4, como a trilha do Garrafão, antes de descer.

Na descida passa-se por duas cachoeiras, com destaque para a Véu da Noiva de Teresópolis com cerca de 16 metros de queda.

Recomendação Importante

Todas as trilhas e atrativos do PARNASO podem ser visitados sem o acompanhamento de guias ou condutores de visitantes. No entanto, alguns atrativos exigem conhecimentos ou habilidades específicas que podem ser supridas pelo condutor de visitantes.

A contratação de um guia ou condutor pode enriquecer a sua visita ao parque, pois estes profissionais conhecem não só os atrativos, como tambémcuriosidades sobre o PARNASO e região.

Para a trilha da travessia Petrópolis-Teresópolis, devido as suas particularidades, o PARNASO recomenda a contratação de um guia ou condutor. Caso o grupo não esteja acompanhado por um profissional, um dos membros do grupo deverá se responsabilizar por conhecer o caminho e as regras de uso público do parque. Além disso, outras atividades comoescaladas requerem o acompanhamento porpessoal capacitado.

Com o objetivo de garantir a oferta de serviços de condução de qualidade e com segurança e visando também estimular o desenvolvimento de atividades sustentáveis relacionadas ao turismo no entorno do parque o PARNASO vem promovendo, em conjunto com instituições parceiras, cursos de capacitação para condutores de visitantes.

Consulte a lista de condutores de visitante autorizados pelo PARNASOe contrate um profissional para enriquecer sua visita. Todos os condutores listados estão habilitados a conduzir visitantes no PARNASO, conforme a Portaria ICMBio n° 116/2010, possuindo conhecimentos sobre os atrativos e normas do PARNASO, bem como tendo realizado cursos de primeiros socorros.

ATENÇÃO: O PARNASO não é responsável pela qualidade dos serviços prestados pelos condutores listados.

 

O PARNASO também é uma das principais áreas para escaladano país, contando com vias de diversos estilos e dificuldades, desde as mais simples até as mais difíceis e complexas do Brasil. No total, são mais de 130 vias nas diversas áreas de todo o PARNASO. - Mais informações veja a seguir:

 

A Serra dos Órgãos reúne algumas das melhores e mais difíceis vias de escalada do país, nas suas diversas montanhas. Dentre estas montanhas, algumas merecem destaque: O Dedo de Deus, com 1692 m de altitude, foi conquistado em 1912 por moradores da cidade e desde então é considerado o marco inicial da escalada no Brasil. Já na década de 30 o CEB (Centro Excursionista Brasileiro), primeiro clube excursionista do Brasil, desbravou diversos picos na Serra dos órgãos e escolheu o Dedo de Deus como seu emblema.

O PARNASO proporciona oportunidades para escaladas em todos os níveis, desde iniciantes até algumas das escaladas mais técnicas do Brasil, como as vias no bigwall da Pedra do Sino.

Do total de mais de 130 vias de escalada, a grande maioria (mais de 100) pode ser escalada de forma gratuita, isto é, o acesso não é feito por uma das três portarias do PARNASO. Para escalar os picos do PARNASO em que o acesso se dá por uma das três portarias (ou para aqueles em que o acesso se dá pela BR-116) é necessário comunicar ao Parque, assinando Termo de Conhecimento de Riscos e Normas entregue nas portarias. Para escaladas com acesso pela BR-116 (Dedo de Deus e Escalavrado, por exemplo) o Termo deve ser preenchido e enviado por fax para (21) 2152-1103 (dias úteis) ou entregue diretamente nas portarias do PARNASO. Além disso, é importante que você dê baixa no Termo após a saída do Parque.

A atividade de escalada em rocha está intimamente relacionada à conservação dos recursos naturais, dessa forma o PARNASO apóia a prática da escalada esportiva de forma ambientalmente responsável. Antes de iniciar atividades de montanhismo é importante ler as Regras de Uso Público do PARNASO (que possui normas específicas para escalada) e a Cartilha do Caminhante Consciente da Serra dos Órgãos. Verifique também se a área onde pretende escalar tem acesso permitido no Zoneamento do PARNASO.

A escalada é um esporte de risco, manuais e guias não substituem instrução e supervisão profissional. As informações contidas neste site servem apenas para indicar os locais freqüentados e suas principais vias de escalada, não assegurando inclusive a integridade física das proteções fixas das vias indicadas. Lembre-se sempre: sua segurança é sua responsabilidade, respeite os seus limites e seja prudente.

O PARNASO não possui equipe especializada em busca e salvamento, em caso de emergências ligue para o Corpo de Bombeiros (telefone 193) e avise também a equipe do PARNASO (telefone 21 2152-1120).

Os principais setores de escalada do PARNASO são:

Complexo Dedo de Deus

Berço do montanhismo brasileiro, o Complexo Complexo Dedo de Deus Bruno Nepomuceno Dedo de Deuspossui algumas dasescaladas mais clássicas do Brasil, como a via Teixeira no Dedo de Deus (considerada por muitos o marco inicial da escalada no Brasil), e a primeira via em artificial do Brasil (via Bendy, no Dedo de Nossa Senhora). A via Teixeira (3º grau) foi conquistada em 1912 por um grupo de cinco moradores de Teresópolis, após um grupo de escaladores alemães declarar que o Dedo de Deus seria impossível de ser escalado. A ascensão ao cume de 1.692 metros, em uma parede com importantes dificuldades técnicas, foi celebrada como um feito heroico e teve um considerável impacto no país. Ainda hoje alguns dos grampos originais da conquista estão na montanha.

O setor conta com diversas vias relativamente fáceis, sendo um bom local para escaladores que estão começando nas paredes, até diversas vias bem mais difíceis, de até sétimo grau. As trilhas de acesso às vias de escalada começam todas ao longo da Rodovia BR-116 (Rio – Teresópolis), na subida da serra, e em geral são relativamente curtas, mas íngremes. Embora todas as trilhas tenham acesso gratuito, é obrigatório o preenchimento e o envio do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas antes da escalada, bem como é obrigatório dar baixa no Termo após a saída da trilha.

 

 

Setor Pedra do Sino

Situado bem no interior do PARNASO, o setor Pedra do Sino possui algumas agulha do diabo

das montanhas mais importantes do Brasil, como a Agulha do Diabo e a Pedra do Sino. 

A Agulha do Diabo foi eleita em 2009 uma das 15 escaladas em rocha mais

espetaculares do mundo. A caminhada até a base é longa e pesada e a via

(de 3º grau) bastante cansativa, o que exige uma logística mais complexa, mas além

da beleza da via, a vista do estreito cume é única em toda a Serra

dos Órgãos. Já a face sudoeste da Pedra do Sino, maior paredão de escalada do Brasil, possui algumas da vias de bigwall mais difíceis do país, entre elas as clássicas Franco-Brasileira e a Terra de Gigantes,

com 550 metros de extensão, considerada a via mais complexa do país.

O acesso para as vias se dá pela Trilha da Pedra do Sino, a partir da Sede Teresópolis do PARNASO. Em todos os casos é necessário o Preenchimento do Termo de Conhecimento de

 

Riscos e Normas. Além disso, para escalar as vias de Bigwall da Pedra do Sino, também é necessária uma autorização prévia da direção do PARNASO.

 

 

Setores Samambaia e Bonfim

Os Setores Bonfim e Samambaia oferecem boas opções de pedra-comprida-150x225escalada para os amantes da escalada esportiva e tradicional na cidade de Petrópolis. Bem próximo à portaria da sede Bonfim do PARNASO você encontra algumas das mais difíceis vias esportivas da cidade, com graduação de 5º até 10º grau. Já o Setor samambaia, apesar de não ser muito frequentado atualmente, conta com vias históricas que incentivaram outras conquistas importantes na cidade imperial.

 

 

 

 

Setor Soberbo

O Setor Soberbo é mais seletivo e conta com poucas vias, pois Pedra do Garrafão

o acesso  é remoto e as vias são bastante exigentes. Nesse setor foi aberta, em 1975, a primeira via em bigwall do país, a Face Sul do Garrafão. A escalada de qualquer uma das vias do setor exige uma logística complexa, e também exige uma autorização prévia da direção do PARNASO, inclusive para a trilha de acesso. O acesso para as vias se dá pela trilha ao longo do Rio Soberbo, com início na BR-116.

 

                                                                                                                                                                                                                                                                                                       

 Pedra do Garrafão

Guia de vias de escalada

Para estimular a escalada no PARNASO, a equipe do Parque produziu uma Lista de vias de Escalada do PARNASOcompilando dados disponíveis em sites, livros e outras publicações e buscando informações com escaladores da região, além de disponibilizar croquis digitalizados de obras já publicadas.

O resultado disso foi a produção de uma listagem setorizada (de acordo com a localização das paredes e dos pontos de acesso para as vias), contendo informações importantes para os montanhistas. Das mais de 130 vias de escalada registradas no PARNASO, a listagem apresenta croquis para mais de 70 destas.

Entretanto, ressaltamos que as informações disponibilizadas não subtituem a instrução especializada, o conhecimento técnico da escalada e o conhecimento sobre os locais em que você pretende escalar. Lembre-se que você é responsável por sua segurança! Caso não se sinta seguro, recomendamos a contratação de um dos nossos condutores de visitante com formação em escalada em rocha.

 

 

Além dos atrativos situados dentro do PARNASO, os municípios do entorno têm muitas atrações e roteiros que podem complementar sua visita à Serra dos Órgãos, veja a seguir:

Além dos locais e roteiros mais conhecidos pelos visitantes, o Parnaso e os municípios do entorno tem muitas atrações, tanto para os que tem poucos dias na região, quanto para os visitantes que terão bastante tempo para descobrir os segredos da serra. Abaixo selecionamos alguns roteiros que permitem descobrir essas atrações.

Sede Teresópolis

A – Roteiro Parnaso + Teresópolis

roteiro teresopolisSegmento: Familiar
Local: Parnaso e entorno
Dificuldade: Fácil
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

O roteiro começa por uma visita ao Centro de Visitantes da SedeTeresópolis, e à piscina natural do parque (foto). Continua então com uma caminhada até a Barragem no Rio Beija-Flor, onde você pode fazer um piquenique. Faça então uma caminhada na trilha suspensa, podendo apreciar belas vistas da Mata Atlântica protegida pelo PARNASO. Saindo do parque, siga até o Mirante da Vista Soberba, e faça também uma visita à CBF e ao Lago Comary. Após visitar a Fonte Judith, termine o dia fazendo compras na Feirinha do Alto.


B – Roteiro Mirantes nas Montanhas

Segmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: de média para alta (caminhada semi-pesada)
Público alvo: Montanhistas, observadores de pássaros
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Conheça as belas vistas que se descortinam dos mirantes situados na trilha para a Pedra do Sino (Mirante Simone, Abrigo 3, Cota 2000)


C – Roteiro Circuito do Sino

roteiro circuitoSegmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: Alta (caminhada pesada)
Público alvo: Montanhistas experientes e escaladores
Duração prevista: 3 dias

Descrição:

O primeiro dia começa com a subida para a Pedra do Sino. O visitante pode também visitar o Mirante Simone e a Pedra da Cruz.. No fim do dia, assistir ao pôr do sol no cume da Pedra do Sino é imperdível. O segundo dia começa com uma ida ao Papudo, e caso o visitante seja escalador, a subida a Agulha Bonatti é uma boa pedida. Nesse dia, tente também ir ao São Pedro e à Pedra da Baleia. Já no terceiro dia, vá ao Morro da Pipoca, e volte então à Teresópolis, revigorado pelos dias passados em meio à natureza.


Sede Petrópolis

A – Roteiro Parnaso + Petrópolis

Segmento: Familiar
Local: Parnaso e entorno
Dificuldade: Fácil
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Comece esse roteiro com uma caminhada da portaria do PARNASO no Bonfim até a cachoeira Véu de Noiva. Lá, você pode tomar um revigorante banho de rio, assim como em outros poços ao longo do caminho. Volte então até a portaria, e, já fora do parque, vá até o distrito de Itaipava para almoçar e fazer compras. Termine o dia passeando pelo centro histórico de Petrópolis.


B – Roteiro Alicate

Segmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: Média (caminhada leve, com alguns trechos mais difíceis e escorregadios)
Público alvo: Montanhistas e caminhantes
Duração prevista: 5 a 7 horas

Descrição:

Na caminhada, em direção ao Pico do Alicate, você irá percorrer uma bonita trilha com trechos de mata nativa, passando por belas cachoeiras e nascentes. Chegando próximo ao Pico, você terá uma linda vista das montanhas do Vale do Bonfim.


C – Roteiro Alcobaça

Segmento: Aventura

Local: Parnaso
Dificuldade: de média para alta (caminhada semi-pesada, com trechos íngremes e expostos)
Público alvo: Montanhistas e caminhantes
Duração prevista: 4 a 6 horas

Descrição:

Nesta caminhada você passará por trechos de mata e trechos de campos de altitude, chegando ao Pico do Alcobaça, com uma bela vista de toda a cidade de Petrópolis. É necessário preencher termo de conhecimento de risco e enviar para o Parque por fax ou entregar em uma das portarias.


Sede Guapimirim

A – Roteiro Parnaso + Guapimirim

Segmento: Familiar
Local: Parnaso e entorno
Dificuldade: Moderada
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Comece esse roteiro com uma visita ao Casarão da Barreira, construção histórica que abriga o Centro de Visitantes. Percorra então a Trilha do Poço Verde, tomando um refrescante banho de cachoeira no final. Vá então à Capela de Nossa Senhora da Conceição do Soberbo, construída no Século XVIII, em estilo barroco. Após isso, saindo do Parque, visite o Orquidário Aranda.


Magé

A – Roteiro Santo Aleixo

Segmento: Familiar
Local: Entorno
Dificuldade: Fácil
Público alvo: Toda a família
Duração prevista: 1 dia

Descrição:

Saindo do distrito de Santo Aleixo, vá até a trilha que leva à Árvore Oca. Além de percorrer um bonito trecho de mata, você poderá tomar um refrescante banho de cachoeira, e fazer um piquenique em meio à natureza.