Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Aves - Sporophila palustris (Barrows, 1883) - Caboclinho-de-papo-branco
Início do conteúdo da página

Aves - Sporophila palustris (Barrows, 1883) - Caboclinho-de-papo-branco

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Aves
Aves
Passeriformes
Thraupidae
Sporophila palustris (Barrows, 1883)
Caboclinho-de-papo-branco
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
C2a(i)
IN MMA 003/2003
Justificativa
Sporophila palustris reproduz-se na Argentina, extremo sul do Brasil, Uruguai e, possivelmente, Paraguai. Fora do período reprodutivo, migra para o centro-oeste e sudeste do Brasil e leste do Paraguai. A população reprodutiva do Brasil restringe-se ao Rio Grande do Sul. A existência de descontinuidades importantes no habitat e calendários migratórios diferentes sugerem a existência de cinco subpopulações reprodutivas principais no estado: três no litoral sul e duas na Fronteira Oeste. Considerando estimativas populacionais globais e a proporção da distribuição mundial da espécie inserida no Rio Grande do Sul, infere-se que a população brasileira é inferior a 2.500 indivíduos maduros e que nenhuma subpopulação apresenta mais de 250 indivíduos maduros. Declínio continuado é inferido em razão da substituição dos campos por monoculturas arbóreas, além de outras ameaças, como expansão de monoculturas anuais, degradação dos campos por sobrepastejo e invasão de espécies exóticas. Recentemente, a implantação de parques eólicos no litoral sul do estado provou ser capaz de eliminar territórios reprodutivos, situação antes apenas projetada. A espécie qualifica-se, então, como Em Perigo, pelo critério C2a(i), mas há aporte de indivíduos das populações uruguaias e, principalmente, argentinas para a população brasileira, de modo que é razoável fazer um downlist do risco de ameaça no Brasil. Dessa forma, S. palustris foi avaliada como Vulnerável (VU) C2a(i).
Especialistas
Ciro Ginez Albano, Fernando Costa Straube, Glayson Ariel Bencke, Luciano Moreira Lima, Luís Fábio Silveira, Márcio Amorim Efe, Rafael Alves dos Santos e Santos, Rafael Antunes Dias, Santos D’Angelo Neto, Vítor de Queiroz Piacentini
Referências
1) Bencke, G.A.; Mauricio, G.N.; Develey, P.F. & Goerck J.M. 2006. Áreas importantes para a Conservação das aves no Brasil: Parte I - Estados do Domínio da Mata Atlântica. SAVE Brasil. 494p.
2) Conservation International. 2009. Plano de Manejo da Reserva Particular do Patrimônio Natural Fazenda Rio Negro. 145p.
3) FZBRS (Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul). 2013. Revisão da Lista das Espécies da Fauna Silvestre Ameaçadas de Extinção no Rio Grande do Sul. Consulta Pública. http://www.liv.fzb.rs.gov.br/livcpl/?id_modulo=1&id_uf=23. FZBRS e SEMA/RS. (Acesso em 9/1/2014).
4) Grantsau, R.K.H. 2010. Guia completo para a identificação das aves do Brasil. Parte II. Vento Verde. 656p.
5) IUCN (International Union for Conservation of Nature and Natural Resources). 2012. IUCN Red List of Threatened Species. Versão 2012.1. www.iucnredlist.org (Acesso em 22/2/2013).
6) Lima, E.M.C. 2008. Sporophila palustris (Barrows, 1883), p.549-550. In: Machado, A.B.M.; Drummond, G.M.; Paglia, A.P. (orgs.). Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção no Brasil. Ministério do Meio Ambiente e Fundação Biodiversitas. v.2, 460p.
7) Machado, E. 2009. Sporophila palustris (Barrows, 1883) Passeriformes, Emberizidae, p.261. In: Bressan, P.M.; Kierulff, M.C.M. & Sugieda, A.M. (eds.). Fauna ameaçada de extinção no Estado de São Paulo: vertebrados. Fundação Parque Zoológico de São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente. 648p.
8) Marques, A.A.B.; Fontana, C.S.; Vélez, E.; Bencke, G.A.; Schneider, M. & Reis, R.E. 2002. Lista de Referência da Fauna Ameaçada de Extinção no Rio Grande do Sul. FZB/MCT–PUCRS/PANGEA. 52p.
9) Maurício, G.N.; Dias, R.A.; Repenning, M. & Vizentin-Bugoni, J. 2013. Sporophila palustris. In: ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Passeriformes dos Campos Sulinos. No prelo.
10) Nunes, A.P. & Tomas, W.M. 2008. Aves migratórias e nômades ocorrentes no Pantanal. Embrapa Pantanal. 122p.
11) Rising, J.D. 2011. Family Emberizidae, p.428-683. In: del Hoyo, J.; Elliott, A. & Christie, D. Handbook of the birds of the world, Vol 16: Tanagers to New World Blackbirds. Lynx Edicions. 893p.
12) Straube, F.C.; Urben-Filho, A. & Kajiwara, D. 2004. Aves, p.143-496. In: Mikich, S.B. & Bérnils, R.S. Livro Vermelho da Fauna Ameaçada no Estado do Paraná. Mater Natura - Instituto de Estudos Ambientais. 764p.
Fim do conteúdo da página