Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Invertebrados Aquáticos - Lymnaea rupestris Paraense, 1982 - Caramujo-de-água-doce
Início do conteúdo da página

Invertebrados Aquáticos - Lymnaea rupestris Paraense, 1982 - Caramujo-de-água-doce

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Invertebrados Aquáticos
Gastropoda
Pulmonata
Lymnaeidae
Lymnaea rupestris Paraense, 1982
Caramujo-de-água-doce
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
D2
Justificativa
Lymnaea rupestris é endêmica do Brasil, sendo conhecida apenas na localidade tipo, Nova Teutônia, município de Seara, estado de Santa Catarina. Esforços de coleta têm sido empregados freqüentemente, em habitats propícios, mas a espécie não tem sido encontrada. Está restrita a ambientes de rochedos muito úmidos e próximos a quedas d‘água, com Área de Ocupação e Extensão de Ocorrência menores que 10km² e 100km² respectivamente, sendo altamente adaptada a esse microhabitat. Essa especificidade de habitat torna a espécie mais sensível a ameaças ocorrentes na região, tais como urbanização, poluição descaracterização do habitat. Portanto, L. rupestris foi categorizada como Vulnerável (VU) pelo critério D2.
Especialistas
Eduardo Colley – MZUSP, Igor Christo Myahira - UERJ e UNIRIO, Ingrid Heydrich - FZB/RS, Isabela Cristina Brito Gonçalves – UERJ, Lenita Tallarico – UNICAMP, Luiz Eduardo Macedo Lacerda – UERJ, Maria Júlia Martins Silva – UnB, Meire Silva Pena - PUC/MG, Monica Ammon Fernandez – FIOCRUZ, Norma Campos Salgado - MN/UFRJ, Silvana Carvalho Thiengo - Fiocruz/RJ, Sonia Barbosa dos Santos – UERJ, Suzete Rodrigues Gomes – MZUSP.
Referências
Correa, A.C., Escobar, J.S., Durand, P.,Renaud, F., David, P., Jarne, P., Pointier, J.P. Hurtrez-Boussès, S., 2010. Bridging gaps in the molecular phylogeny of the Lymnaeidae(Gastropoda: Pulmonata), vectors of fascioliasis. BMC Evolutionary Biology10: 381-393.
Hubencick, B., 1951. Recent Lymnaeidae: their variation, morphology, taxonomy, nomenclature, and distribution. Kungl. Svenska Vetensk. Hand., 3(1): 1-223.
Medeiros, C., Scholte, R. G. C.,, D’Avila, S., Caldeira, R.L., Carvalho, O.S. 2014. Spatial distribution of Lymnaeidae (Mollusca, Basommatophora) intermediate host of Fasciola hepatica Linnaeus, 1758 (Trematoda, Digenea) in Brazil. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, 56(3): 235-252.
Paraense, W.L., 1982. Lymnaea rupestris sp. n. from souhtern Brazil (Pulmonata: Lymnaeidae). Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 77(4): 437- 443.
Fim do conteúdo da página