Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Invertebrados Terrestres - Coarazuphium bezerra Gnaspini, Vanin & Godoy, 1998 - Besouro
Início do conteúdo da página

Invertebrados Terrestres - Coarazuphium bezerra Gnaspini, Vanin & Godoy, 1998 - Besouro

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Invertebrados Terrestres
Insecta
Coleoptera
Carabidae
Coarazuphium bezerra Gnaspini, Vanin & Godoy, 1998
Besouro
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
D2
IN MMA 003/2003
Justificativa
Coarazuphium bezerra é endêmica do Brasil, conhecida somente da localidade-tipo, a Lapa do Bezerra, no Parque Estadual de Terra Ronca, município de São Domingos, GO. Somente o holótipo é conhecido, coletado na década de 70. Estudos mais recentes na região não localizaram a espécie. Embora a caverna esteja em uma área protegida, mudanças no microhabitat das cavernas, provocadas por alterações no ambiente externo (p. ex. incêndios florestais) podem afetar a espécie. Considerando apenas uma localização, Coarazuphium bezerra foi categorizada como Vulnerável (VU) pelo critério D2.
Especialistas
Angélico Fortunato Asenjo Flores – UFMT, Elynton Alves do Nascimento – Unicentro, Flávia Rodrigues Fernandes – MPEG, Ingrid Mattos – UFRJ, José Ricardo Mermudes – UFRJ, Laura Rocha Prado – USP, Luciano de Azevedo Moura - FZB/RS, Lucimar Soares de Araújo – UFV, Luiz Felipe Lima da Silveira – UFRJ, Marcela Laura Monné Freire – UFRJ, Maria Elina Bichuette – UNESP, Nelson Ferreira Jr. – UFRJ, Rafael Vieira Nunes – UFMT.
Referências
Gnaspini, P.; Vanin, S.A.; Godoy, N.M., 1998. A new genus of troglobitic carabid beetles from Brazil (Coleoptera, Carabidae, Zuphiini). Papéis Avulsos de Zoologia, 40(19): 297-309.

Gnaspini, P., 2008. Coarazuphium bezerra, In: A.B.M., Machado; G. M., Drummond; A.P., Paglia (Eds.), Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção (vol. 1). Ministério do Meio Ambiente, Fundação Biodiversitas. Brasília, DF; Belo Horizonte (MG). pp. 347-348.
Fim do conteúdo da página