Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > Começa monitoria dos PANs de Mamíferos Aquáticos
Início do conteúdo da página

Começa monitoria dos PANs de Mamíferos Aquáticos

Publicado: Quinta, 15 de Setembro de 2011, 11h45
Será avaliado o grau de implementação de cada Plano

Brasília (15/09/2011) – Entre 19 a 23 de setembro acontece em Recife as reuniões de monitoria dos Planos de Ação Nacionais (PAN) para Mamíferos Aquáticos, que englobam quatro Planos: PAN da Toninha, PAN Sirênios, PAN Pequenos Cetáceos e PAN Grandes Cetáceos e Pinípedes. As monitorias são coordenadas pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Aquáticos (CMA), sob a supervisão da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (Dibio) do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e com a participação dos Grupos Estratégicos para Conservação e Manejo (GECONs) dos Planos, definidos em Portarias recentemente.

Nesta primeira reunião será avaliado o grau de implementação de cada Plano, com a verificação, reavaliação e ajuste nas metas e ações que compõem cada um deles, levando em consideração os indicadores estabelecidos nas ações. Também será estabelecido uma estratégia de trabalho com o GECON, que tem a função de acompanhar a implementação dos planos.

PANs - Os Planos de Ação Nacionais são documentos compostos por um conjunto de ações planejadas estratégica e participativamente entre o poder público e sociedade, com intuito de conservar espécies da fauna ameaçadas de extinção e espécies que sofrem ameaças de origem antrópica ao longo de sua distribuição geográfica. Com isso, tais planos atuam sob as ameaças que podem levar à extinção de determinada espécie.  As portarias de criação dos Planos de Ação de Mamíferos Aquáticos foram publicadas em 2010 pelo ICMBio.

Os objetivos dos PANs de Mamíferos Aquáticos  são reduzir o impacto antrópico e ampliar o conhecimento sobre as espécies de mamíferos aquáticos no Brasil. Atualmente os mamíferos aquáticos ameaçadas de extinção no Brasil compreendem nove espécies: seis grandes cetáceos, um pequeno cetáceo e dois sirênios. O PAN de Sirênios está constituído por 12 metas e 130 ações, PAN da Toninha com 7 metas e 88 ações, PAN Pequenos Cetáceos com 7 metas e 109 ações e o PAN de Grandes Cetáceos e Pinípedes com 21 metas e 146 ações para grandes cetáceos e 14 metas e 87 ações para pinípedes.

A Dibio está desenvolvendo um sistema online, a ser implantado em 2012, com o objetivo de facilitar a monitoria e o acompanhamento da implementação dos Planos, além de tornar acessível as informações gerais das espécies e divulgar as ações dos PANs.

Com a atuação conjunta do ICMBio e da sociedade aliada à construção e implementação desses planos para as espécies ameaçadas de extinção, acredita-se que esta ferramenta de gestão se consolidará cada vez mais como estratégia eficaz de conservação da biodiversidade brasileira.

Para saber mais, acesse todos os PANs clicando aqui

Ascom/ICMBio
(61) 3341-9280
Fim do conteúdo da página