Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Geral > UC realiza monitoramento de pesca no entorno
Início do conteúdo da página

UC realiza monitoramento de pesca no entorno

Publicado: Quinta, 13 de Setembro de 2018, 16h30
Parque Nacional do Pantanal Matogrossense cadastra moradores e desenvolve, junto com Centros Regionais, protocolos de pesca.

parnamatoo
O Parque Nacional do Pantanal Matogrossense realizou ações de monitoramento de pesca no entorno da unidade de conservação. As atividades desenvolvidas na zona de amortecimento do Parna incluíram o cadastramento de moradores da comunidade tradicional da Barra do São Lourenço, o desenvolvimento do protocolo de pesca experimental e a realização da primeira oficina de automonitoramento na comunidade.

As ações são parte do processo de revisão do Plano de Manejo do Parque Nacional, atendendo a decisão judicial que determinou ao ICMBio considerar a pesca artesanal profissional e o direito de acesso aos recursos pesqueiros na zona de amortecimento da unidade de conservação pela Comunidade Tradicional da Barra do São Lourenço, localizada no imediato entorno da unidade. Diante disso, ficou definido que os Centros Nacionais de Pesquisa do ICMBio aplicariam os protocolos de monitoramento para áreas alagáveis no âmbito do Programa Monitora, ligado ao subprograma aquático continental em áreas estratégicas definidas na zona de amortecimento do Parque.

Em campo, foram aplicados dois protocolos: o de automonitoramento da pesca para a Comunidade da Barra do São Lourenço, coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica (Cepam), para que os pescadores possam, de forma participativa, conduzir o monitoramento comunitário da pesca. E o segundo, o protocolo de pesca experimental de áreas alagáveis, coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (Cepta), atividade executada em quatro pontos distribuídos ao longo da zona de amortecimento do Parque. Os dados obtidos por meio destas duas ações vão permitir criar cenários de decisão, principalmente sobre as espécies de interesse comercial e iscas vivas, e subsidiar tomadas de decisões sobre potenciais mudanças nas normas de pesca da zona de amortecimento, constantes no Plano de Manejo do Parque.

O cadastramento dos moradores e pescadores da comunidade foi feito pela primeira vez por uma equipe do ICMBio. O formulário utilizado foi o mesmo utilizado no cadastro de famílias residentes em unidades de conservação, organizado também pelo Instituto. Além do cadastramento, foi realizado ainda o mapeamento das áreas de uso e interesse para a pesca da comunidade, que ajudarão na avaliação da revisão do Plano de Manejo uma vez que dimensiona o esforço pesqueiro potencial da comunidade na zona de amortecimento.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página