Estatísticas

CADASTRO e solicitação

O Sisbio opera de forma descentralizada, dando celeridade à tramitação das solicitações de autorização. Até março de 2016, foram concedidos, por meio do Sisbio, 23.065 documentos, incluindo 18.012 autorizações, 1.418 licenças permanentes e 3.635 comprovantes de registro. Dentre estes, aproximadamente, 43% foram concedidos para realização de pesquisas em Unidades de Conservação Federal, abrangendo 99% delas, demonstrando um aumento de 29,34% com relação ao ano de 2014. O número de pesquisas com foco em espécies ameaçadas de extinção aumentou 27% em relação ao ano de 2014.

A quantidade de autorizações para pesquisa varia para cada UC Federal. O Parque Nacional da Serra dos Órgãos possui o maior número de autorizações para pesquisa, como apresentado na Figura 1, a qual enumera as 20 Ucs Federais com maior quantidade de solicitações autorizadas pelo SISBIO.

 

20 unidades mais pesquisadas

Figura 1 - Número de pesquisas autorizadas pelo SISBIO nas 20 Unidades de Conservação mais pesquisadas, segundo dados gerados até março de 2016.

 

 Há, também, uma variação perceptível da quantidade de autorizações entre os diferentes biomas brasileiros, como está apresentado na Figura 2. A Mata Atlântica é o bioma que abrange a maior quantidade de autorizações e o bioma Pampa e Pantanal possuem o menor número de autorizações.

grafico bioma 2016

Figura 2. Número de solicitações autorizadas pelo SISBIO, por bioma brasileiro, para um total de 23.065 autorizações, segundo dados até março de 2016.

 

Outra relação percebida segundo os dados do SISBIO é a variação da quantidade de solicitações por categoria de UC Federal, como apresentado na Figura 3.

grafico por categoria 2016

Figura 3 -Número de autorizações por categoria de UC Federal, segundo dados do SISBIO até março de 2016.

 

Atualmente, há 45.045 pesquisadores cadastrados no sistema, o que representa um aumento de 31% com relação ao total de pesquisadores cadastrados até 2014.

 

RELATÓRIOS E DADOS

Até março de 2016, foram submetidos 14.292 relatórios, aproximadamente 90% de todos os relatórios no sistema.

A análise dos dados encaminhados permitiu identificar que, 28% dos projetos autorizados com relatórios submetidos, não houve atividade de campo.

As informações contidas nos relatórios de atividades contribuem para a formação de um banco de dados sobre a biodiversidade brasileira, tendo como objetivo disponibilizar subsídios técnico-científicos para o planejamento de ações que visam à conservação da biodiversidade.

Tais informações permitem, por exemplo, conhecer o quantitativo dos registros de ocorrência de táxons, dentro e fora de Unidades de Conservação (Figura 4), o quantitativo dos registros de ocorrência por grupo taxonômico (Figura 5) e o demonstrativo das publicações originadas das pesquisas realizadas (Figura 6), segundo dados cumulativos do SISBIO até março de 2016.

 

reg ocorrencia D F uc

Figura 4. Porcentagem de registros de ocorrência dentro e fora de Unidades de Conservação federais, considerando um total de 432.851 registros de ocorrência.

 

grafico qtd ocorrencia

Figura 5. Quantitativo de registros de ocorrência por grupo taxonômico informado nos relatórios de atividades, considerando um total de 432.851 registros de ocorrência.

 

grafico publicações

Figura 6. Demonstrativo de publicações, por tipo de publicação, geradas a partir dos dados coletados em pesquisas autorizadas pelo SISBIO.